O primeiro filme da Disney lançado neste ano aqui na terrinha Brasilis é uma animação. Vamos ver o que achei de “Moana”.

Moana / Moana (2015)
Duração:
113 min
Sinopse:Moana Waialiki é uma corajosa jovem, filha do chefe de uma tribo na Oceania, vinda de uma longa linhagem de navegadores, que é seu maior hobbie e, também, trabalho. Querendo descobrir mais sobre seu passado e ajudar sua família, ela resolve partir em busca de seus ancestrais, habitantes de uma ilha mítica que ninguém sabe onde é. Com a ajuda do lendário semideus Maiu, Moana começa sua jornada pelo mar aberto, onde vai enfrentar criaturas marinhas e descobrir antigas histórias do submundo.

Querem saber o que eu achei?

A primeira coisa que preciso falar antes de vocês lerem meu relato é que eu estava com a expectativa para esse filme BEM GRANDE. O motivo? Os diretos são apenas John Musker e o Ron Clement, que são tipo assim, só os diretores de Aladdin e Hercules! Deu pra sentir o drama né?

Quando fui apresentada ao primeiro trailer do filme eu fiquei em dúvida, admito! Com a nova mudança da Disney em produzir princesas “independentes”, pensei que teríamos histórias menos “empolgantes”. Só que Moana mostra que isso pode sim acontecer!

Nos primeiros minutos, somos apresentados a Moana, uma pequena jovem que vive em uma tribo e vive com um dilema: apesar de ser filha do chefe da tribo, o mar a chama!

Como assim, o mar a chama?

Para não estragar muito o filme, sim, o mar a chama por um grande motivo, e que está ligado a toda sua história. A partir desse momento, você cria uma relação com ela. E sim, também criamos uma relação com Maui!

Maui, você vai dizer de nada!

Se Moana é coração, Maui lhe fará rir! Claro que ele também tem uma história, mas você se apaixonara pelo Transmorfo, Semideus da Água e do Mar e Herói do Povo. Fique de olho nas tatuagens dele, ela é um dos personagens mais importantes!

Fique de olho na beleza grafica

Moana é um belo banquete para quem ama animações, com uma grafia fabulosa, é impossível não se apaixonar pelos cabelos da personagem ou pelas folhas que aparecem no caminho. Dica: Fique de olho numa cena de “De nada”, é linda de chorar!

Vale a pena assistir?

E muito! É daqueles filmes gostosinhos e que no final você tira uma lição. E se prepare pois você irá sair com a trilha sonora gru-da-da na cabeça!

Deixo, só assim, para te deixar com vontade a linda voz da Any Gabrielle, em “Saber quem sou”.

A dublagem em português tá de parabéns viu gentchi! Mas tô louquinha pra ver em inglês, assim que sai em Blu-ray!

Ps: E todos somos HeiHei, o frango!