OK, para que eu possa explicar sobre o último filme do Bátima (Sim eu chamo de Bátima), preciso voltar a falar da trilogia do Nolan, e ai querido leitor, me julguem!

Primeiro, para quem não sabe, eu posso me considerar DC desde pequena – Shame on me!Yep, fui criada lendo Superman, Batman e qualquer outra coisa que saísse da DC e eu GOSTAVA! Então é os heróis que eu mais entendo no quadrinho, e ai vez a minha questão problemática com os filmes do Nolan


Batman Begins
Produzido em: 2005
Tempo de duração: 140 min

Sabe um filme que você tenta ver e dorme? Sou eu e o Begins. Desculpe fãs do Nolan mas acho o filme moroso demais! Eu nem assisti no cinema, e a primeira vez que vi, DORMI! Talvez eu ache moroso porque já conhecemos a origem do personagem (Beijo Tim Burton), e recontar, mas que de outra forma, é cansativo! E olha que adoro o Ken Watanabe, mas nem ele salvou o filme. Eu tenho sérios problemas com essa coisa – crua e real, que o Nolan diz fazer.

Outra coisa que não consigo gostar do filme é o Bale de Bruce Wayne. Acho tão sem sal! Pelo amor de deus, vão me falar que ele é um bilionário playboy? Até o Michael Keaton faz melhor!No meu S2 – George Glooney é o melhor como Wayne! Querem ver que até a versão animada do Batman – aquela série de tv que passava no SBT, um DESENHO, sim um DESENHO é melhor que o Bale em charme – e sim gente tenho muito amor pelos desenhos da DC, até talvez mais que pelos quadrinhos!



Batman – O Cavaleiro das Trevas
Produzido em: 2008
Tempo de duração: 152 min

Talvez ali eu vi o Bátima… Dá pra dar risada né? Porque todo mundo que viu o filme sabe que na verdade deveria se chamar: Coringa – O Melhor Vilão! Mas acreditem que só vi esse filme quanto o Peter comprou o Blu-ray e colocamos aqui numa festa de Natal pra familia assistir? Parece piada, mas fiquei traumatizada depois da morte do Heath Ledger – pra quem conhece a DC, sabe que eles tem algumas lendas de personagens assombrados, por sinal preciso falar dos problemas do Supinho, hehe!

Ok ok, voltando ao assunto, me surpreendi assistindo – tardiamento- o filme. Ele é bom, um bom filme de ação de um vilão psicopata que curiosamente tem um mocinho que veste roupa de morcego. Harvey Dent é um personagem OK, porque né gentem…quem comanda a bagaça É O CORINGA! Talvez seja o personagem mais icônico das HQs e um dos grandes vilões do homem morcego. O nome do filme também veio de uma Hq muito boa e que segundo dizem serviu de inspiração… Mas tudo que vem do Nolan você deve meio que esquecer. Dos três é o único que gostei!

E agora…

Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge
Produzido em: 2012
Tempo de duração: 165 min

Pela duração, é o maior filme…E o mais chato! Olha eu tentei gente, tentei dar uma chance. Mas se o primeiro foi ruim e esse remete a tudo que tivemos nele, bom, já deu pra entender né? Uma coisa muito fraca do filme é a negação do Wayne, sabe aquele homem amargurado que ele sempre foi? Nessa versão ele parece um velho babão! Os furos são muitos – e não vou colocar aqui para não virar spoiler, mas nem mesmo a Anne Hathaway salva o filme!

Sabe a sensação de que as melhores cenas do filme não se encaixavam naquele universo que o próprio Nolan criou? Foi o que aconteceu! Para quem assistiu as cenas do tal avião morcego, deve entender o que estou falando… O vilão Bane, que poderia ser a grande sacada do filme, passa a ser um “mala” no final – com uma historia que ok, você engole, mas não explica direito de onde vem sua força, até a versão do Joel Schumacher, com uma versão gay do universo conseguiu explicar!

Ele é extremamente previsível, principalmente quanto ao personagem do Joseph Gordon-Levitt ( e que ideia idiota pro nome né? Pra mim é nome de mulher!),que durante os trailer tinha cara de ser um personagem que poderia surpreender – devido aos destaques, e bom, no final, serviu de figurante – e não me venham falar que não, porque ele poderia MUITO bem estar na cena com o Batman e o Bane!

Se eu pudesse dar uma nota, seria:

Batman Begins: 1 de 5
Batman – O Cavaleiro das Trevas: 3/5 de 5
Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge: 0,5 de 5.

Uma coisa que me decepcionou dessa trilogia, por assim se dizer, foi que o Nolan tentou criar um universo real mas esquece que o Bátima é um “detetive” fantasia que usa seu dinheiro para super maquinas para combater vilões extremamente estranhos. Até mesmo o Lanterna Verde nesse ponto relacionado ao “fantastico” consegue se sair bem! E to vendo que meu amigo Supinha vai também me decepcionar…